• 4020-8811
  • [email protected]
  • Atendimento: Segunda a sexta, das 9h às 20h, Sábado, das 9h às 14h
4020-8811
X
LIGUE GRÁTIS
MARQUE SUA CONSULTA
Segunda a sexta, das 9h às 20h
Sábado, das 9h às 14h

Saiba os perigos dos estimulantes sexuais

Em virtude dos perigos causados pelos estimulantes sexuais sem acompanhamento médico, o blog de hoje pretende esclarecer e falar um pouco mais sobre o assunto. Saiba mais sobre os perigos dos estimulantes sexuais. 

Segundo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). 62% dos homens brasileiros recorrem a algum tipo de estimulante sexual para garantir a ereção compram o medicamento sem prescrição médica.

Primeiro de tudo, os dados revelaram que dentre os homens que afirmaram usar estimulante sexual mesmo sem receita médica. Outros 41% disseram seguir a recomendação de amigos, 39% receberam indicações na hora da compra, na própria farmácia, 15% afirmaram terem se informado por meio de sites ou pela imprensa e outros 5% compraram o medicamento no mercado paralelo.

Como resultado, o maior perigo dos estimulantes sexuais é que sem uma avaliação médica seu uso pode causar sérios problemas à saúde masculina. Inclusive, sua combinação com outros medicamentos pode representar graves riscos ao coração. Um grande perigo em potencial! 

Além disso, o uso concomitante com remédios para dilatar as artérias coronárias (os nitratos) também é contraindicado,  pois representa risco de isquemia cardíaca.

Outros efeitos que podem ser causados com o uso de estimulante sexual, por exemplo, são associados à vasodilatação, como dor de cabeça, rubor facial e congestão nasal. 

A combinação com reposição de testosterona também pode ter consequências graves, como aumento da morbidade por problemas cardiovasculares, aumento dos sintomas de dificuldade de urinar, alterações das funções hepáticas, entre outras.

Apesar de muitos estimulantes sexuais não precisarem de receita médica é errada a ideia de que uma avaliação médica não é necessária.

 

O especialista deve sempre ser consultado. Porém, esse é outro ponto fraco: 51% dos homens brasileiros com mais de 35 anos nunca foram ao urologista, segundo a pesquisa da SBU. Portanto, o mais difícil é transpor a barreira cultural da nossa sociedade, quando o assunto é impotência sexual. 

Entretanto, para usar o estimulante sexual de maneira segura, sem prejuízo à saúde, é básico e fundamental consultar um médico e entender como funciona e como tomar o remédio de forma correta.   

A fim de resolver a disfunção erétil, qualquer tratamento deve passar primeiro por mudanças nos hábitos de vida através da eliminação dos fatores de risco, como tabagismo, obesidade e sedentarismo, pela avaliação do uso de outras medicações que podem interferir com a ereção e pela avaliação da capacidade funcional do paciente, em relação às suas atividades sexuais.  

Portanto, lembre-se! Mantenha seus exames em dia, tenha uma vida saudável e continue acompanhando nossas dicas para ajudar a cuidar da sua saúde e melhorar o seu desempenho sexual.  

 

13 de dezembro de 2019