Falta de Ereção

A impotência sexual, também conhecida como disfunção erétil, é a incapacidade de se obter ou manter uma ereção adequada para a prática da relação sexual. Não deve ser confundida com a falta ou diminuição no “apetite sexual”, nem como dificuldade em ejacular ou em atingir o orgasmo.

Embora a impotência sexual seja mais comum em homens mais velhos, este problema é comum e pode ocorrer em qualquer idade.

Dificuldades de ereção que acontecem de vez em quando não são necessariamente motivos de preocupação. Mas se o problema persiste, poderá causar estresse e complicações no relacionamento amoroso, além de afetar a auto-estima. Nesses casos, visando também descartar outros tipos de doenças.

O principal sintoma da impotência sexual, ou disfunção erétil, é a incapacidade de manter uma ereção tempo o suficiente para manter uma relação sexual. Na totalidade do ato sexual, se o indivíduo não conseguir manter a ereção em pelo menos 25% do tempo, já é considerado como sendo portador de disfunção erétil.

A excitação sexual masculina é um processo complexo que envolve o cérebro, hormônios, emoções, nervos, músculos e vasos sanguíneos. Se algo afeta qualquer um destes sistemas, ou o delicado equilíbrio entre eles, uma disfunção erétil poderá ocorrer.

Anatomia de uma ereção: O pênis contém dois cilindros, que são estruturas que se parecem com uma esponja, denominados de corpo cavernoso. O corpo cavernoso está situado paralelamente à uretra, canal pelo qual passa a urina.

Quando um homem torna-se sexualmente excitado, impulsos nervosos causam aumento do fluxo sanguíneo para o corpo cavernoso, que aumenta em várias vezes o seu tamanho normal. Desse modo, funcionando como uma esponja, o corpo cavernoso aumenta de tamanho e produz uma ereção por estiramento e enrijecimento do pênis.

A continuação excitação sexual mantém a maior taxa de fluxo sanguíneo para o pênis e limita o fluxo de sangue para fora do pênis, mantendo o pênis duro. Após a ejaculação ou quando passa a excitação sexual, o excesso de sangue é drenado para fora do tecido esponjoso (corpo cavernoso), e o pênis e volta ao seu tamanho e forma não ereta.

Causas físicas da impotência sexual: Num dado momento, os médicos pensavam que a disfunção erétil fosse causada principalmente por questões psicológicas. Mas isto não é verdade. Enquanto os pensamentos e emoções têm importante papel no sentido de se obter uma ereção, a disfunção erétil é geralmente causada por alguma alteração física, como um problema crônico de saúde ou os efeitos colaterais de uma medicação. Às vezes, uma combinação desses problemas causam a disfunção erétil.

As causas mais comuns de impotência sexual incluem:

• Doenças cardíacas
• Obstrução dos vasos sangüíneos (aterosclerose)
• Pressão arterial elevada, ou hipertensão arterial
• Diabetes
• Obesidade
• Síndrome metabólica (obesidade, pressão alta, aumento dos lipídeos ou da glicose)

Outras causas da disfunção erétil incluem:
• Alguns medicamentos
• Tabagismo
• Alcoolismo e outras formas de abuso de drogas
• Tratamentos para câncer de próstata
• Doença de Parkinson
• Esclerose múltipla
• Distúrbios hormonais, como a baixa de testosterona (hipogonadismo)
• Doença de Peyronie (fibrose do corpo cavernoso)
• Cirurgias ou lesões que afetam a zona pélvica ou da medula espinhal

Em alguns casos, a disfunção erétil é um dos primeiros sinais de um problema médico subjacente.
Causas psicológicas da impotência sexual: O cérebro desempenha um papel fundamental no desencadeamento da série de eventos físicos que causam uma ereção, começando com os sentimentos de excitação sexual. Uma série de coisas que podem interferir com sentimentos sexuais e que podem levar a uma disfunção erétil estão listados logo abaixo:
• Depressão
• Ansiedade
• Stress
• Fadiga
• Má comunicação ou conflito com seu parceiro

As causas físicas e psicológicas da disfunção erétil podem estar juntas. Por exemplo, um pequeno problema físico que atrasa resposta sexual pode causar ansiedade sobre como manter uma ereção. A ansiedade resultante pode piorar a disfunção erétil.

Uma variedade de fatores de risco pode contribuir para a impotência sexual ou disfunção erétil. São eles:

Envelhecimento: cerca de 80% dos idosos com mais de 75 anos têm disfunção erétil. Muitos homens começam a notar alterações na função sexual à medida que envelhecem.Ereções podem demorar mais tempo a desenvolver e pode não ser tão rígida.

Mas a disfunção erétil não é uma conseqüência inevitável do envelhecimento normal. A disfunção erétil em homens mais velhos muitas vezes ocorre principalmente porque eles são mais propensos a ter doenças crônicas ou por tomar medicamentos que interferem com a ereção.

Portadores de doenças crônicas: doenças dos pulmões, fígado, rins, coração, nervos, artérias ou veias podem levar à disfunção erétil. Doenças endócrinas, especialmente o diabetes, também são responsáveis pela impotência sexual.

O acúmulo de placas de gordura nas artérias (aterosclerose) também pode impedir a entrada de sangue suficiente para o pênis. Em alguns homens, a disfunção erétil pode ser causada por níveis baixos de testosterona (hipogonadismo masculino).

Uso de alguns medicamentos: um grande número de remédios, incluindo antidepressivos, anti-histamínicos (usados para tratar alergias) e medicamentos para tratar a pressão alta, dor e câncer de próstata – podem causar disfunção erétil por interferir nos impulsos nervosos ou reduzir o fluxo sangüíneo para o pênis. Tranqüilizantes e medicações utilizadas para dormir também podem causar a dificuldade na ereção.

Certas cirurgias ou ferimentos: danos aos nervos que controlam as ereções podem causar disfunção erétil. Este dano pode ocorrer se houver lesão na zona pélvica ou na medula espinhal. Cirurgia para tratamento da bexiga, reto ou câncer de próstata pode aumentar o risco de disfunção erétil.

Abuso de drogas e substâncias: uso crônico de álcool, maconha ou outras drogas muitas vezes são causas de disfunção erétil e diminuição da atividade sexual. Estresse, ansiedade ou depressão: são condições psicológicas também contribuem para alguns casos de disfunção erétil.

Tabagismo: fumar pode provocar disfunção erétil, uma vez que restringe o fluxo sangüíneo para veias e artérias. Homens que fumam cigarros são muito mais propensos a desenvolver disfunção erétil. Obesidade: homens que são obesos têm muito mais probabilidade de ter disfunção erétil do que os homens estão em um peso normal.

Síndrome metabólica: esta síndrome é caracterizada por aumento da gordura abdominal, colesterol e triglicerídeos altos, pressão arterial elevada e resistência à insulina.

Andar de bicicleta por muito tempo: durante um período prolongado, a pressão de um selim (banco) de bicicleta pode comprimir nervos e reduzir o fluxo sangüíneo para o pênis, levando à disfunção erétil temporária e dormência peniana.