Andropausa

A ANDROPAUSA precoce é uma condição que atinge o homem quando a diminuição da testosterona, natural no processo de envelhecimento, ocorre antes dele completar 50 anos de idade.

Os sinais e sintomas da andropausa precoce são os mesmos da andropausa na maturidade. Existe o risco de a ausência do hormônio masculino por mais tempo causar mais danos no organismo com a instalação mais precoce também de doenças como a osteoporose.

Alguns fatores ambientais e psicológicos podem estar ligados a diminuição da testosterona.

Uma maneira de tratar a andropausa é fazer a terapia de reposição hormonal que o médico pode prescrever a partir do diagnóstico da andropausa precoce, que pode ser diagnosticado através de um exame de sangue e dos sintomas da andropausa relatados pelo homem.

Uma maneira de tratar a andropausa é fazer a terapia de reposição hormonal que o médico pode prescrever a partir do diagnóstico da andropausa precoce, que pode ser diagnosticado através de um exame de sangue e dos sintomas da andropausa relatados pelo homem.

Sintomas da Andropausa

A andropausa condição definida por uma grande redução dos níveis de testosterona na corrente sanguínea do homem, pode ocorrer normalmente a partir dos 50 anos de idade. Apesar de existir uma outra condição conhecida como andropausa precoce que afeta homens mais novos, os sintomas da andropausa podem ser:

  • Diminuição da massa muscular,
  • Aumento da gordura corporal,
  • Diminuição do desejo sexual,
  • Problemas de memória,
  • Osteoporose,
  • Anemia,
  • Dificuldade de concentração,
  • Apatia,
  • Depressão.

A andropausa surge lentamente e muitos homens não sentem os sintomas característicos, embora seja certo que todos os homens passam por esta fase como parte do processo normal de envelhecimento.

O tratamento para a andropausa é feito através da reposição hormonal, com o uso de medicamentos que aumentam a taxa de testosterona no sangue. Este tratamento pode ser realizado, sob o uso diário de comprimidos, uso contínuo de um adesivo que se coloca na pele; injeções mensais de testosterona ou aplicação diária de um gel à base de testosterona.

A reposição hormonal é indicada se além dos sintomas típicos da andropausa o exame de sangue confirmar os níveis séricos de testosterona total abaixo de 300mg/dl ou 6,5 mg/dl³.

Reposição hormonal na andropausa
Para a reposição hormonal na fase da andropausa, recomenda-se:

  • Comprimidos de testosterona: O undecanoato de testosterona, é indicado para o tratamento da andropausa pois é capaz de diminuir seus sintomas e possui poucos efeitos colaterais.
  • Adesivo de testosterona: Deve ser aplicado sob área escrotal depilada ou fora da área escrotal, porém neste último caso, pode não aderir suficientemente na pele e não alcançar os objetivos pretendidos.
  • Gel de testosterona: O gel de dihidrotestosterona deve ser aplicado diariamente sempre no mesmo local. É rápido e eficiente, porém pode causar reação alérgica.
  • Implante subcutâneo de testosterona: Não devem ser utilizados em idosos pelo risco de infecção local, mas pode ser utilizado em caso de hipogonadismo, proporcionando níveis estáveis e fisiológicos de testosterona no sangue.
  • Injeções de testosterona: São as mais econômicas e utilizadas no Brasil, feitas à base de ésteres de testosterona, enantato e cipionato de testosterona em formulação oleosa de longa duração. Geralmente aplica-se 1 dose por mês.

Ao realizar a reposição hormonal na andropausa deve-se verificar os níveis de testosterona total no sangue antes de iniciar o tratamento e logo após seu início. Três e seis meses após o início da terapêutica escolhida deve-se realizar o exame toque retal e a dosagem do PSA para verificar se houve alterações importantes, e se isto for verificado o paciente deve ser encaminhado para um especialista.